terça-feira, 17 de junho de 2008

O contexto

Danny Meyer, que já citei no post “Cliente não é rei”, viveu dois anos na França com a família e, mais tarde, passou outro ano viajando pela Itália. Nas suas andanças, carregava consigo um caderno de anotações em que descrevia os detalhes que mais lhe chamavam a atenção nos restaurantes: entradas, decoração, bebidas e, principalmente, o ambiente de acolhimento. Sonhava, um dia, reunir as melhores idéias coletadas num restaurante ideal. O Union Square Café, seu primeiro restaurante foi a materialização desse sonho. Ao abrir o primeiro negócio, fez questão de que os arredores oferecessem algo de que ele não abre mão -- contexto. Para ele, mais vale se instalar num bairro decadente, mas genuíno, com história e personalidade, do que num bairro moderno, mas sem alma, mesmo que seja freqüentado por pessoas de alto poder aquisitivo. "Uma região decadente pode ser recuperada com boa vontade e trabalho comunitário, mas um lugar sem alma é irrecuperável", diz. Meyer, que recusou generosos convites para abrir restaurantes em shopping centers, em cassinos de Las Vegas e em Tóquio, quer restaurantes que se identifiquem com a alma dos seus bairros e se eternizem como instituições. Ele dedica boa parte de seus esforços na integração com a comunidade.

2 comentários:

Anônimo disse...

Roger,
Eu conheço o Union Square Café e de fato acho que ele conseguiu atingir plenamente seus objetivos. É excelente o restaurante em todos os sentidos, com uma gastronomia de alta qualidade a um preço razoável.

Obrigada,
Ana Cláudia Bestetti
Diretora
Café do Porto

Roger Klafke disse...

Ótimo Cacaia!
obrigado pelo comentário, o livro é ótimo e como tu confirma, tem credibilidade.
abraços
Roger