terça-feira, 20 de maio de 2008

Sobre a crise dos alimentos

Na prática a crise dos alimentos já provoca em algumas cidades, como o Rio de Janeiro, reajuste nos preços dos restaurantes e padarias que chega a 5,44%. Alguns economistas são contra o aumento, dizem que não é a hora de repassar os custos ao consumidor, alegam que as empresas estão sendo beneficiadas pelo aumento de consumo.
Neste cenário, mais do que nunca, é importante ter a gestão financeira afinada (controle de custos, formação do preço de venda, etc...) e mais uma vez ajustar a estratégia da empresa para que o aumento de clientes não se transforme em dor de cabeça e rombo no caixa. Matéria publicada na Folha de São Paulo cita os principais pontos que desencadearam a alta nos preços dos produtos agrícolas:
- Desenvolvimento global, aumento da população mundial, secas que atingiram a produção, aumento do preço do petróleo, especulação, enfraquecimento do dólar, alta nos custos de produção, aumento da produção de biocombustíveis e entraves na exportação.

Você ja pensou como isto pode afetar a sua empresa ou como se transformará em oportunidade de negócio?

Vale a pena conferir a matéria:(http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u395708.shtml).

2 comentários:

Anônimo disse...

Todos sabemos que a estabilidade criada beneficia o consumidor.Ele sabe o quanto custa para o restaurante preparar tal prato podendo , então , aveliar o valor agregado pelo estabelecimento
na composição do preço final.
Essa noção de valor se perde com a inflação.Acho que os restaurantes tem sim de repassar os custos, mas devem ter cautela na composição dos preços para não afugentar o cliente.
Deco Komka

Roger Klafke disse...

Deco,
excelente visão desta complicada situação.
Obrigado pelo comentário!

abraços